Pembroke Castle, País de Gales

Lugares para viajar: aonde ir em julho

Meio do ano chegou e ainda não sabe aonde ir em julho? Lugares para viajar bem legais e diferentes não faltam pelo mundo.

Com o verão a todo o vapor no Hemisfério Norte, os dias longos e quentes são mais aproveitados ao ar livre, em praias ou caminhada nas montanhas. Confira abaixo os destinos internacionais que selecionei na América do Norte e na Europa, escolha aonde ir em julho e aproveite.

Pelos castelos do País de Gales

O sul do País de Gales é rico em beleza natural. De vales verdes e montanhas varridas por ventos, esta terra antiga também carrega maravilha feitas pelo homem.

Os castelos de pedras cinza espalhados pela zona rural, alguns em ruínas, servem de cenário para piqueniques em família e muita história.

Dos lugares aonde ir em julho, o País de Gales é excelente opção, pois os dias são longos, os campos estão mais verdes e o mais está convidativo e fresco.

O Chepstow Castle, localizado acima do rio Wye evoca um passado bem turbulento. Construído em 1067, foi o primeiro castelo de pedra da Grã-Bretanha e base estratégica para ataques no País de Gales.

O Cardiff Castle, por outro lado, construído no século 19, era uma verdadeira engenharia militar. Seus muros impenetráveis e incríveis defesas aquáticas de seu interior mantêm-se preservados. No salão interno os tetos dourados, espelhos e entalhes elaborados remetem a um sonho gótico.

Outro destaque são as ruínas do Laugharne Castle e Pembroke Castle (foto acima/divulgação Pembroke Castle).

Aonde ir em julho: Cardiff, País de Gales

Planeje sua viagem pegando no Pinterest todas as minhas dicas divididas por país ou temas. Acesse este link e me siga para não perder as novidades.

A cidade de Mozart

Salzburgo, Áustrla
Construções imponentes em Salzburgo. Foto: divulgação

Salzburgo, a bela cidade de Mozart respira música. A capital da música da Europa tem torres e domos, praças graciosas, ruas estreitas e fachadas em tons pastel cercadas por montanhas cinzentas e protegidas por colinas verdejantes. A cidade parece um mundo à parte.

Salzburgo tem mais de 4 mil eventos culturais ao longo do ano , porém o mais cobiçado é o Festival de Verão. Ele tem duração de cinco semanas com apresentações eletrizantes de artistas de renome mundial. O festival é feito em salas de concertos, palácios e igrejas.

Faça uma visita à Fortaleza HohenSalzburg para conseguir aquela vista panorâmica da cidade e dos Alpes. Visite também o edifício amarelo onde Mozart nasceu. Pela cidade, a imagem do músico adorna de chocolates a perfumes.

Aonde ir em julho: Salzburgo, Áustria

Viaje mais: Roteiro de 3 dias em Viena

Washington DC. também é cultura

Jefferson Memorial, Washington D.C.
Cartão postal da capital americana, Jefferson Memorial. Foto: shutterstock

Washington sempre conquista os visitantes, que vão em peso ver o cintilante domo do Capitólio e a haste esguia do Washington Memorial. Localizados em cada uma das duas pontas dos extensos gramados do National Mall, fazem parte do projeto de urbanismo do francês Pierre Charles L’Enfant.

Quando se está em Washington é difícil saber por onde começar os passeios. Visitar museus pode ocupar um dia inteiro e mais outro dia se você desejar visitar os imponentes edifícios do governo incluindo a Casa Branca.

Em julho a cidade fica mais vibrante e recebe dois importantes eventos. O primeiro deles, o Smithsonian Folklife Festival, é gratuito e ao ar livre e celebra o legado cultural da cidade. São duas semanas de festival que fica concentrado no National Mall com diversos músicos, contadores de histórias, artistas, artesãos e cozinheiros.

O outro evento, o Dia da Bandeira em 4 de julho, recebe uma queima de fogos sobre o Washington Monument.

Passado os festivais, aproveite a cidade histórica para visitar mostras nos museus, passear no canal C&O e ir ao zoológico.

Aonde ir em julho: Washington DC., Estados Unidos

Viaje mais: Dicas de viagem aos Estados Unidos

Visitando o velho oeste em Calgary

Aonde ir em julho: Rodeio em Calgary, Canadá
Famoso internacionalmente, rodeio é coisa séria. Foto: divulgação

Que tal um passeio em Calgary para ver de perto o rodeio Stampede?

Conhecido como o maior show ao ar livre do planeta, o Calgary Stampede reúne os melhores vaqueiros do mundo em busca do premio mais alto em dinheiro num rodeio profissional. São dez dias de pura diversão em julho. Seja para ver os vaqueiros montados em touros ou em carroças, a animação é garantida.

A energia pode ser sentida na entrada do Stampede Park, com uma feira iluminada por neons. O cassino também funciona a todo o vapor. No Saddledome Stadium, acontecem shows de grandes artistas.

Em julho o clima é agradável, com média de 24°C, mas é comum chover na parte da tarde. Aproveite a viagem e visite o Heritage Park Historical Village. Você verá edifício da época dos pioneiros, uma locomotiva a vapor e até um barco a vapor.

Se tiver dias sobrando na agenda, suba a montanha e conheça a região das Rochosas que liga Banff a Jasper. Lindo de viver!

Aonde ir em julho: Calgary, Canadá

Viaje mais: Dicas de viagem ao Canadá

De caiaque entre orcas na ilha San Juan

Por do sol em San Juan
Poente em San Juan também é lindo. Foto: divulgação

As ilhas esmeraldas de San Juan, localizadas em Puget Sound, na costa do estado de Washington, são perfeitas para atividades ao ar livre e têm vistas incríveis. Um dos lugares para viajar bem diferentes da lista, ao fundo é possível ver as montanhas nevadas das cordilheiras Olympic e Coastal.

O clima na ilha em julho é excelente, com pouca chuva e dias mais quentes. Andar de caiaque é muito popular em San Juan e é uma ótima oportunidade para ver orcas enquanto rema.

O Parque Estadual Moran, na ilha Orcas, tem trilhas que levam ao centro da ilha, com florestas e panoramas que se estendem além do que a vista alcança.

Viste as aldeias, com ruas ladeadas, restaurantes e hotéis simples, mas muito aconchegantes.

Aonde ir em julho: Ilhas San Juan, Estados Unidos

Viaje mais: Top 11: ilhas paradisíacas para curtir praias desertas

Expedição por Spitsbergen

Vista das montanhas em Spitsbergen, Noruega
Montanhas impressionantes em Spitsbergen. Foto: divulgação

Em julho Spitsbergen apresenta um panorama relativamente acessível do Polo Norte. Por ser verão no ártico, a região tem sol durante as 24 horas do dia.

O arquipélago não atrai muitos turistas, embora seja rico em fauna. Pequenas flores surgem colorindo a estéril e isolada tundra do ártico.

Em Longyearbyen, 1500 pessoas fazem parte de uma sociedade continental norueguesa. O cotidiano local é muito animado no verão, moradores se juntam com turistas durante as noites claras do fim de semana.

Fora da cidade. o som das geleiras se quebrando com o derretimento causa um misto de prazer e descoberta.

Entre as atrações locais, faça um cruzeiro na costa oeste da ilha ou ande pelo litoral, ótimas oportunidades para ver ursos polares caçando em meio aos blocos de gelo.

Aonde ir em julho: Spitsbergen, Noruega

Siga @adri.lage no Instagram e acompanhe em tempo real sua viagem de volta ao mundo.

Aonde ir em julho: Cape Cod com certeza

Moinho antigo em Cape Cod, Estados Unidos
Cape Cod, uma região surpreendente

Cape Cod tem alguns dos cenários mais excepcionais dos Estados Unidos. As praias são a primeira atração ao longo do Atlântico. Conhecida pelos admiradores como “The Cape”, o local tem aldeias com histórias que remontam a 350 anos com velhos chalés com telhados cinza, moinhos e faróis.

Na Route 6A, as casas antigas abrigam antiquários e galerias de arte com ótimos produtos para compra. Já em Provincetown, o pitoresco porto repleto de barcos pesqueiros, visitantes podem pegar um barco e passar o dia apreciando o litoral e vendo baleias jubartes.

As cidades também são bastante diversificadas e ótimas para caminhadas. No almoço nem é necessário procurar por restaurantes, cabanas servem uma lagosta deliciosa.

Sol, compras, gastronomia e hotéis charmosos garantem a popularidade deste destino em julho, um dos lugares para viajar mais cobiçados pelos americanos.

Aonde ir em julho: Cape Cod, Estados Unidos 

Copenhague em família

Casinhas coloridas no canal em Copenhague
Copenhague e as casinhas coloridas. Cartão postal dinamarquês. Foto: shutterstock

A cidade mágica de Copenhague, com ruas de pedras medievais, bairros modernos e tradicionais e praças ladeadas de cafés é um verdadeiro centro de cultura com excelentes galerias de arte e museus. Daqueles lugares para viajar sempre.

Stroget é um paraíso do consumo. Cercada por um parque verdejante, jardins floridos e edifícios históricos, Copenhague é um exemplo perfeito de como o antigo e o novo podem se complementar.

A cidade é ideal para ser visitada em família. No verão a praia se anima em torno do porto e adolescentes se divertem em passeios de caiaque.

Aonde ir em julho: Copenhague, Dinamarca

Inscreva-se em nosso canal no Youtube e inspire-se em nossos vídeos de viagem.

Córsega, uma ilha meio francesa meio italiana

Aonde ir em julho: Córsega
Dá pra contar quantos azuis?

Pertencente à França, a ilha banhada pelo Mediterrâneo é um lugar de beleza misteriosa. Seu interior selvagem possui 20 picos que, diz a lenda, foram moradas de ogros e gigantes.

A ilha, quarta maior do Mediterrâneo, é muito popular no verão e alia cidade charmosa, sol, floresta verdejante, rios transparentes e praias de areia branca.

Embora faça parte da França, fica mais próxima da Itália e, por esse motivo, a cultura italiana está presente em todo o território, com igrejas barrocas, fortalezas genovesas e culinária com sabor mediterrâneo.

Julho é o mês ideal para ir a Córsega, por ser o meio do verão. Entre as atividades, andar a cavalonas colinas da Castagniccia ou nas praias da costa leste propiciam paisagens incríveis. Explore também a flora da região com as numerosas trilhas. Para os mais radicais, rafting e canoagem.

E quando quiser descansar sob o sol, visite as enseadas do sul com incríveis praias de areia branca e água transparente.

Aonde ir em julho: Córsega, França

Viaje mais: Dicas de viagem à França

Nota: Adoro colecionar livros de viagem e esta seleção eu fiz inspirada no livro “As melhores viagens do mundo”, da Publifolha.

Viaje aqui também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *