Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México

Segunda igreja católica mais visitada no mundo (perde apenas para o Vaticano) e o maior centro de peregrinação católica das Américas, o santuário nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México tem a Basílica Santa Maria de Guadalupe como grande joia, mas também esconde outras surpreendentes atrações.

Nação fervorosamente católica e devota, os mexicanos orgulham-se de sua Santa Virgem de Guadalupe, santa patrona do México, versão mexicana da Nossa Senhora Aparecida brasileira. A identificação dos nativos com a santa não é por acaso e provavelmente tem origem nas tradições indígenas. O morro onde a virgem apareceu ao índio Juan Diego, o Cerro Tepeyac, era local sagrado dos astecas dedicado a Tonantzin, a deusa mãe e dizem que os padres na época reclamavam que os índios se referiam à santa como Tonantzin.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Cúpulas coloridas da antiga Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe. Foto Angela Manta
Planeje sua viagem com as dicas do A Camminare no Pinterest, divididas por país ou temas e não perca as novidades!

Clique na foto para não perder este artigo e salve-o para acessá-lo sempre que quiser.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México

Não pesquisei muito sobre o lugar e quando cheguei me surpreendi com sua grandiosidade. Logo que pisamos no enorme pátio de entrada, duas construções de estilos arquitetônicos disputam os olhares de visitantes e peregrinos. À frente, a antiga basílica, com suas quatro torres e o domo dourado, parece tombar, tamanha é sua inclinação para frente. À esquerda, a nova basílica tem telhado circular azulado, remetendo ao manto azul de Nossa Senhora, cobrindo e protegendo seus filhos.

Tudo gira em torno da história do milagre das aparições de Santa Maria de Guadalupe ao índio mexicano Juan Diego em 1531, dez anos após a conquista do México pelos espanhóis.

Inscreva-se no canal A Camminare no Youtube e inspire-se em nossos vídeos de viagem.

A antiga Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe

A Basílica velha, inscrita como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO foi construída no local da aparição, depois reconstruída e ampliada ao longo dos anos. Em virtude de sua localização sobre o terreno instável, a edificação foi afundando lentamente, causando rachaduras e colocando-a em risco de desabamento.

Nem mesmo os massivos pilares coríntios que suportam o domo de 40 metros escaparam ilesos. Atualmente controlada, a inclinação é tão grande que ao andar em seu interior você tem a sensação de estar caindo.

Hoje chamado o Templo Expiatório a Cristo Rei, a antiga basílica que abrigou o manto sagrado de Juan Diego por 262 anos, até sua transferência para o altar na nova basílica, funciona como museu e contém pinturas e esculturas religiosas, além de oferendas trazidas ao templo pelos peregrinos como agradecimento ou pedidos de cura.

Antiga Basílica Nossa Senhora de Guadalupe no México está inclinada. Foto Angela Manta
Antiga Basílica Nossa Senhora de Guadalupe no México está inclinada. Foto Angela Manta
Basílica Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Cúpula maravilhosa da Basílica. Foto Angela Manta

Mais de 20 milhões de pessoas visitam a basílica nova todos os anos, boa parte no dia 12 de dezembro, Dia da Santíssima Virgem de Guadalupe, carinhosamente chamada de A Indiazinha pelos mexicanos. Construída em 1976 para abrigar o crescente número de peregrinos que visitam a Virgem para agradecer os milagres ou depositar seus pedidos, a basílica está sempre florida e missas são frequentes.

O lindíssimo altar é coroado com a imagem da Virgem, emoldurada em prata e ouro, que pode ser vista de perto pelos visitantes por uma passagem abaixo do altar. Três esteiras rolantes garantem o fluxo contínuo e a organização do local.

Explorando o complexo do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe

À esquerda da antiga basílica, uma bela escadaria coberta por folhagens e degraus enfeitados com azulejos coloridos leva ao topo do morro, de onde se descortina todo o horizonte da Cidade do México, excelente local para fotos. São poucos degraus e a singela capela El Cerrito de Tepeyac, local da primeira aparição da virgem e do milagre das rosas, apresenta afrescos da conversão dos indígenas e das aparições da Virgem, pintadas por Fernando Leal em 1947. Vale a pena.

As escadas que descem pelo outro lado levam ao Jardim das Rosas, uma grande área verde com belo trabalho paisagístico, repleto de cascatas, flores e folhagens. A cada degrau que descíamos, nos surpreendíamos com a visão que surgia, o céu azul contrastando com o verde da grama ainda mais brilhante com a incidência dos raios de sol. Um enorme conjunto de esculturas chamado “A Oferenda” mostra os maias trazendo oferendas à Virgem de Guadalupe.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
A linda escadaria dá acesso às outras áreas do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta

Voltando, a Capilla del Pocito é uma pequena construção barroca, com domo em azul e branco, cujo teto está coberto por afrescos belíssimos (infelizmente se deteriorando), e abriga a fonte de onde emanava água sagrada, desde 1648.

A Antiga Paróquia dos Índios foi edificada em 1531, onde Juan Diego colocou a sagrada imagem e viveu para cuidar dela. É notório observar a simplicidade da igrejinha e compará-la ao esplendor da Antiga Basílica, rica em detalhes. Há relatos de que a quantidade de prata usada no altar, candelabros, utensílios e outros adornos da basílica superam 62 toneladas.

Por fim, uma atração pouco explorada e de grande riqueza é o Museu da Basílica de Guadalupe, com quase 5 mil obras religiosas, a maioria sobre a temática guadalupana e mariana do período neo-hispânico. Entre os artistas representados, estão os renomados Cristóbal de Villalpando, José de Ibarra, Miguel Cabrera e Juan Correa.

Basílica Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Papa João Paulo II. Foto Angela Manta
Inspire-se com as Insta dicas @adri.lage e viaje comigo em tempo real pelo mundo.

A história da Nossa Senhora de Guadalupe mexicana

A história do milagre das aparições de Santa Maria de Guadalupe ao índio mexicano Juan Diego surgiu em 1531, dez anos após a conquista do México pelos espanhóis. Segundo relatos, Juan Diego passava pelo Cerro de Tepeyac quando ouviu uma doce voz o chamando. A voz pediu que o índio levasse ao bispo a solicitação para construir ali um templo em seu nome. Juan Diego indagou à Virgem por que não fazia o pedido a um espanhol.

Ela respondeu que estava agindo por amor e compaixão a Juan e seu povo, os índios conquistados. O chamado tinha um grande apelo, já que seu modo de vida fora anulado e viram-se obrigados a se converter ao catolicismo. Por sua origem indígena, o bispo nem sequer lhe deu ouvidos.

Na segunda aparição, em 10 de dezembro, a voz doce identifica-se como Nossa Senhora, mãe de Deus e pede que converse novamente com o bispo, que não acreditou e pediu uma prova.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Nossa Senhora de Guadalupe, a santa patrona do México. Foto Angela Manta

No dia seguinte, a virgem volta a encontrar Juan Diego, aflito com a doença de seu tio Bernardino quando encontrou a Virgem embaixo de uma grande árvore, e lhe disse para não se preocupar, “sou sua mãe e estou aqui, e você está protegido sob meu manto.” Solicitou a Juan que subisse o morro de novo e colhesse algumas rosas para levar ao bispo. Qual não foi sua surpresa ao ver aquela terra árida toda florida. Ele colheu as flores e as envolveu em seu manto para levar ao bispo.

Em 12 de dezembro de 1531, Juan abre seu manto em frente ao bispo, as rosas desabrocham, espalham-se no chão e, impregnada no manto, aparece milagrosamente a imagem da virgem. O bispo então acredita em Juan e inicia a construção da igreja no local da aparição.

Os astecas receberam bem o evento, já que os reconciliava com sua tradição religiosa e identificaram na Virgem a deusa mãe asteca. A Santa Virgem de Guadalupe tornou-se, mais do que um símbolo religioso, a grande identidade nacional mexicana. Quando a nova república foi estabelecida em 1823, adotaram as cores azul e branco da Santa e a primeira presidente tomou seu nome, Guadalupe Victoria, como símbolo de identidade e patriotismo mexicanos.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
As oferendas de mexicanos e astecas para a Virgem. Foto Angela Manta

Assim que a basílica ficou pronta, tornou-se o local mais venerado do México. Inúmeros milagres foram atribuídos à Santa Virgem de Guadalupe, carinhosamente chamada de A Indiazinha.

Todo o complexo da Basílica de Guadalupe no Cerro Tepeyac remete ao evento das aparições e vale a pena dedicar cerca de duas horas do dia para visitar o local.

Basílica Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta
Cantinhos do santuário Nossa Senhora de Guadalupe. Foto Angela Manta

Fatos e curiosidades sobre Nossa Senhora de Guadalupe

O que significa Guadalupe em espanhol?

Segundo estudiosos, quando os espanhóis chegaram no México, não conseguiam pronunciar a palavra asteca Coatlaxxopeuh (pronunciado quatlazupe), que significa Rio de Luz, e acabou virando Guadalupe.

Quando é celebrada a Festa de Nossa Senhora de Guadalupe?

Dia 12 de dezembro é feriado nacional no México, quando se comemora-se a aparição de Maria a Juan Diego em 1531. Peregrinos do mundo inteiro visitam o Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe para fazer seus pedidos e agradecer os milagres.

 

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe

O quê: templos mais visitados no mundo

Onde: Cidade do México

Quanto tempo: reserve duas horas para visitar o santuário e mais tempo para o museu.

Quando ir: o ano todo. Chegue cedo para explorar o Santuário Nossa Senhora de Guadalupe sem muita gente. Evite visitá-la no dia 12 de dezembro, a menos que você deseje participar das festividades.

Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México. Foto Angela Manta

Onde ficar na Cidade do México

Com sofisticação

St Regis Mexico City exala luxo, sofisticação e atendimento, simpecável. Sempre bem localizado, o hotel fica na Avenida Paseo de la Reforma, próximo a várias atrações. Diárias a partir de USD 890

Com conforto

Las Alcobas DF, queridinho no Bairro de Polanco, tem suítes elegantes e aconchegantes e perto das principais atrações da cidade. Diárias a partir de USD 580

Com economia

NH Collection Mexico City Santa Fe, minimalista com suítes amplas no bairro de Santa Fé, o NH tem perfil mais voltado para negócios com todas as facilidades de um hotel cinco estrelas e preços acessíveis. Diárias a partir de USD 80

A Camminare nas Redes Sociais

La Digue, Seychelles, a praia mais bonita do mundo Foto: Adriana Lage

Conteúdo inspirador para sua próxima viagem

Museu do Louvre, o maior museu do mundo entre as atrações mais visitadas em Paris. Foto: Yeo Khee via Unsphash.

Milhares de fotos e pastas para seu planejamento.

Arranha-céus no centro de negócios de Singapura vistos a partir da piscina do hotel Mandarin Oriental. Foto: Adriana Lage

Vídeos e mais vídeos para você viajar junto comigo.

O artigo Santuário Nossa Senhora de Guadalupe na Cidade do México você leu primeiro aqui no A Camminare.

Tags: igreja católica mais visitada no mundo – Basílica Santa Maria de Guadalupe – cerro tepeyac – atrações na Cidade do México – o que fazer na Cidade do México – obras religiosas – Santa Maria de Guadalupe – maior santuário católico do mundo – centro de peregrinação católico – Santuário Nossa Senhora de Guadalupe

Foto de capa Angela Manta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.